j

Lorem ipsum dolor amet, consect adipiscing elit, diam nonummy.

Follow Us

Search

Tempo da Delicadeza

Ovos Russos Fabergé

Fabergé | Tempo da Delicadeza
Os ovos Fabergé são obras-primas da joalharia produzidas por Peter Carl Fabergé e seus assistentes no período de 1885 a 1917 para os czares da Rússia.
Este costume teve início quando Alexandre III, em comemoração à Páscoa, pediu ao joalheiro Peter, que fizesse uma delicada joia em forma de ovo, para presentear sua esposa, a czarina Maria Feodorovna. A partir de então, os ovos que eram feitos com uma combinação de esmalte, metais e pedras preciosas e escondiam surpresas e miniaturas em seu interior, tornaram-se tradição. Foram feitos até 1917,  por encomenda dos czares Alexandre III e Nicolau II, pai e filho respectivamente.
A Casa Fabergé  fez cerca de 50 ovos e 42 sobreviveram. Outros dois foram planejados para a Páscoa de 1918, mas devido a Revolução Russa não foram entregues aos seus destinatários.
Após a Revolução os ovos passaram a ser vistos como indulgências frívolas de uma monarquia decadente.

Fabergé | Tempo da Delicadeza

Fabergé | Tempo da Delicadeza

Fabergé | Tempo da Delicadeza

Fabergé | Tempo da Delicadeza

Fabergé | Tempo da Delicadeza

Embora seja mais conhecida por seus “Ovos Imperiais”, a Casa Fabergé  foi o mais prestigiado fabricante de bens de luxo russo do século 19 e início do século 20. Fabergé trabalhou uma ampla gama de jóias, relógios, prata e objetos de arte como, molduras, caixas de cigarro, abotoaduras, opera glasses e estatuetas. Após a revolução, a empresa foi fechada pelo Estado Soviético em 1918 e reaberta em Paris em 1924, com o nome Fabergé e Cie. pelos filhos de seu criador.

Fabergé | Tempo da Delicadeza

Feliz Páscoa a todos!

 

Comentários

  • 5 de abril de 2015
    reply
    lili

    Lindo post. Só não concordo que os ovos fossem indulgencias frivolas. Eu os vejo como obras de arte,da mesma categoria que esculturas ou pinturas.A arte nunca é frivola.

Deixe um comentário

Captcha loading...

Assine nossa Newsletter, gratuitamente